Name:
Location: Cranbrook, Colômbia Britânica, Canada

Helder Fernando de Pinto Correia Ponte, também conhecido por Xinguila nos seus anos de juventude em Luanda, Angola, nasceu em Maquela do Zombo, Uíge, Angola, em 1950. Viveu a sua meninice na Roça Novo Fratel (Serra da Canda) e na Vila da Damba (Uíge), e a sua juventude em Luanda e Cabinda. Frequentou os liceus Paulo Dias de Novais e Salvador Correia, e o Curso Superior de Economia da Universidade de Luanda. Cumpriu serviço militar como oficial miliciano do Serviço de Intendência (logística) do Exército Português em Luanda e Cabinda. Deixou Angola em Novembro de 1975 e emigrou para o Canadá em 1977, onde vive com a sua esposa Estela (Princesa do Huambo) e filho Marco Alexandre. É gestor de um grupo de empresas de propriedade dos Índios Kootenay, na Colômbia Britânica, no sopé oeste das Montanhas Rochosas Canadianas. Gosta da leitura e do estudo, e adora escrever sobre a História de Angola, de África e do Atlântico Sul, com ênfase na Escravatura, sobre os quais tem uma biblioteca pessoal extensa.

Sunday, May 28, 2006

3.0 Sumário do Capítulo


O Objectivo deste capítulo é introduzir o leitor ao estudo da História de Angola.

Cubro primeiro a origem do nome "Angola" e o que entendo por Angola em termos da sua evolução ao longo dos últimos cinco séculos, e depois ofereço uma análize sobre o impacto da diversidade dos povos de Angola na sua história.

Descrevo e explico em seguida os grandes períodos em que se pode dividir a História de Angola, para o seu melhor estudo. Cubro depois alguns porquês do estudo da História de Angola nos planos social e individual, histórico e presente, e em como o seu estudo pode contribuir para uma cidadania e vivência mais esclarecidas.

Ofereço depois uma análise crítica (muito sucinta) das fontes da História de Angola, incluindo a investigação arqueológica, história oral, histórias de criação, lendas e mitos, documentação escrita e bibliografia.

Cubro depois o estudo da "arritmia" ("Tempos Diferentes ao Mesmo Tempo...") característica na cadência da evolução histórica de Angola e dos seus povos.

Faço ainda uma breve referência às lacunas de conhecimento em vastas áreas da História de Angola ("Tanta História Ainda por Contar..."), e ao esforço necessário para as colmatar, em especial de se traduzir para português o número crescente de obras importantes de autores estrangeiros, e a maior difusão de obras importantes de historiadores brasileiros, ambos contribuindo para um melhor conhecimento da História de Angola, ao mesmo tempo que tento dissecar a questão de quanto angolana é a História de Angola.

Por fim, cubro ainda algumas questões relacionadas com a linguagem, estilo, ortografia e toponímia que usei no texto, e de algumas limitações nas fontes de referência.

6 Comments:

Blogger Pedro said...

acho brilhante o teu trabalho.
Toma cuidado com os erros de ortografia que podem desviar o leitor/estudioso do essencial para o secundário.
Obrigado pelo teu trabalho
CP (Costa Pereira)
Angola

7:05 PM  
Blogger CÁ FICO said...

Xinguila

tomei aliberdade de colocar uma ligação directa do meu blog cafico ao teu..

renato (mandachuva)

10:09 AM  
Blogger Armando said...

Parabéns!
Como curioso daquelas realidades e do seu passado e, na qualidade de ex-angolano, não posso deixar de referir aqui que isto é (só!) o melhor trabalho que já vi sobre Angola!

Vou adicionar aos meus Favoritos porque à 1ª leitura, em diagonal, seguir-se-ão, seguramente, muitas outras!
MUITO OBRIGADO

2:12 AM  
Blogger Lourdes Teodoro/Brasilia said...

Helder,

tenho lido com grande interesse seus textos sobre Angola.
o meu propósito é adapatar o que aprendo para tornar acessível a crianças e jovens que nem sempre podem acessar a internet...
parabens pela clareza do estilo e rigor na sua pesquisa.
Lourdes Teodoro/Brasília/BR

10:29 PM  
Blogger Jorge Miranda said...

Excelente informação com interessantes e variados conteudos.
Esta abordagem ajuda a compreender e mostrar Angola no seu lugar em termos históricos e presentes.
Os meus cumprimentos
Jorge Miranda
Cascais

5:50 PM  
Blogger VM said...

Muito interessante o teu trabalho. Vou servindo-me dele como fonte de apoio, porque amo Angola e o seu povo. Obrigado.

Monteiro Margalho

Portugal

5:12 PM  

Post a Comment

<< Home